Nosferatu Eine Symphonie Des Grauens - F.W. Murnau - 1922 - Legendado

 

Um dos melhores filmes de todos os tempos, Nosferatu Eine Symphonie Des Grauens, dirigido por Friedrich Wilhelm (Plumpe) Murnau é um filme que merece essa nova postagem. A anterior pode ser vista aqui.

A obra é um clássico do cinema mudo baseado no livro Drácula de Bram Stoker. Os nomes dos personagens e lugares foram alterados após os herdeiros do escritor não darem a Murnau a necessária autorização para realizar o filme realizado entre agosto e outubro de 1921.





 
Murnau perdeu um processo por violação de direitos autorais e a justiça determinou que fossem destruídas as cópias do filme, mas algumas permaneceram guardadas até a morte da viúva de Bram Stoker.

Por pouco, muito pouco, essa obra de arte não chegou até nós para saciar as vontades daqueles - como hoje se repete - que enriquecem vendendo direitos autorais.



 

A história mostra Hutter, um vendedor de imóveis morador de Wisborg, que atravessa os Montes Cárpatos para vender uma casa ao Conde Graf Orlock. O Conde é, na verdade, um vampiro que se muda para a propriedade recém adquirida. Ao chegar ele provoca terror e os habitantes da cidade acham que estão sendo vítimas da peste.




 


O filme tem alguns erros e curiosidades que merecem destaque, aqui vão alguns:

Quando Hutter senta-se na cama na estalagem para ler o livro sobre o vampiro Nosferatu, um pedaço de papel pode ser visto aparecendo e desaparecendo no canto inferior esquerdo da tela.
 
Quando Hutter está no castelo e escreve uma carta para Ellen o papel fica branco toda a cena.
 
Quando Orlok carrega as caixas ele sobe até a última e "levita" no lugar. Este truque é conseguido através da animação stop-motion mas os cavalos não mantem sua posição o que compromete a ilusão.





O Conde Orlok pisca os olhos uma vez, em uma na cena perto do final da primeira parte.

Muitas cenas foram filmadas durante o dia e quando visto em preto e branco isso se torna extremamente óbvio. Este "erro" é corrigido com partes do filme que são tingidas num tom azulado para representar a noite.





Ruth Landshoff, a atriz que interpretou a irmã de Hutter, certa vez descreveu uma cena em que ela fugiu do vampiro correndo ao longo de uma praia, mas essa cena não aparece em nenhuma versão do filme que tenha sobrevivido ao tempo e a (in)justiça.


O personagem Nosferatu (não o Conde) é visto por um pouco mais de nove minutos durante todo o filme.


As cópias conhecidas e negativos foram destruídos por determinação de um processo movido pela viúva de Bram Stoker. No entanto, o filme seria restaurado com uso de cópias que restaram em outros países, mas a única cópia completa e original era de propriedade do ator alemão Max Schreck, que atuou no filme fazendo o Conde Orloff/Nosferatu.

 
Max Schreck era, no dizer de Murnau, "notavelmente feio" e decidiu que para a maquiagem de vampiro bastaria apenas as orelhas pontudas e os dentes falsos.

A criatura que eles dizem ser um lobisomem, na cena da Pousada, é na verdade uma hiena.

O filme foi proibido na Suécia até o ano de 1972 devido ao horror excessivo.
 
Houve diferentes nomes para os personagens principais em diferentes versões em inglês. Em alguns, Hutter é chamado de "Thomas", em outros é "Jonathon". A esposa de Hutter é creditada como "Ellen" e em algumas versões ela é chamada de "Nina".

Esta é a primeira vez na história do cinema em que um vampiro é morto pela luz solar. Aí surgiu o conceito da cultura popular de que a luz solar é letal para os vampiros.

FW Murnau sabia que ele seria processado por tomar emprestado o romance de Bram Stoker, de 1897, sem permissão, por isso mudou o final para dizer que este filme e Drácula não eram exatamente o mesmo.

Esse filme consta entre os '1001 Filmes que você deve ver antes de morrer ", editado por Steven Jay Schneider. Livro excelente que indico a todos que gostam de cinema.

O filme teve uma versão atualizada de Werner Herzog chamada Nosferatu: Phantom der Nacht. Excelente, por sinal.

Assista também o curta-metragem brasileiro A noite do vampiro.


Assistir Nosferatu Eine Symphonie Des Grauens on line

Nosferatu Eine Symphonie Des Grauens - F.W. Murnau - 1922 - Legendado por Telecinebrasil  no Videolog.tv.

Elenco

Max Schreck .... Conde Orlok / Nosferatu
Greta Schröder .... Ellen Hutter
Karl Etlinger .... Matrose
John Gottowt .... Professor Bulwer
Ruth Landshoff .... Lucy Westrenka
Georg H. Schnell .... Westrenka
Gustav von Wangenheim .... Thomas Hutter
Gustav Botz .... Dr. Sievers

Mais informações.


Nós, que temos blogs e somos, de certa forma, a alternativa de acesso a cultura gratuita e fora da grande mídia, temos que divulgar (cada vez mais) as ameaças à liberdade de expressão.

Leia. Pense. Divulgue. Participe.

2 comentários:

  1. Genial, genial. Já o vi inúmeras vezes.
    Maxx, grato pela sugestão de postagem. Não tenho muita profundidade sobre o assunto, mas vou dar uma estudada. Mande para mim algumas informações/orientações:
    ofalcaomaltes41@gmail.com

    Abraços,

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  2. Este filme é essencial para qualquer cinéfilo...
    Eu adoro tudo sobre ele, até os erros!

    Genial!

    ;D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...